Vasectomia: Conselho Federal de Medicina alerta para os riscos

 Tem certeza que você quer fazer vasectomia?

 

 

 

O Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou nota para alertar aos homens jovens, especialmente na faixa de 18 a 24 anos: a vasectomia não pode se tornar uma cirurgia corriqueira. Para tanto baixaou resolução com normas técnicas para a cirurgia de esterilização masculina.Em primeiro lugar, o CFM se posiona no sentido de que o médico que se propuser a realizar este tipo de cirurgia deverá estar habilitado também para reverter o processo, pois o paciente pode se arrepender posteriormente e, em muitos casos, a reversão não será possível.

 

 

A reversão de vasectomia deve ser feita por microscopia ótica e por profissional habilitado 

 

O percentual de insucessos é grande quando um homem pretende refazer sua capacidade de ser pai, por isso a vaseoctomia não pode se transformar em procedimento massificado.

As estatísticas apontam que 17% dos homens que fizera ma vasectomia se arrependem ao longo da vida, especialmente por alterações psicológicas e emocionais.

 

 

O ato médico de esterilização cirúrgica masculina não é apenas um procedimento de esterilização, mas um ato mais complexo que exige cuidados não previstos em lei. Daí a preocupação de que o médico que realizou a vasectomia precisa estar apto também a outros tipos de intercorrências e à reversão do procedimento.

Visando a maior segurança aos pacientes, é necessário o prazo de 60 dias entre a vontade manifestada e a realização da cirurgia, para que o homem possa amadurecer sua decisão. Este prazo é considerado importante para a conscientização dos homens a respeito de vários métodos de contracepção.

O CFM ressalta também que antes de realizar a cirurgia o paciente deve buscar informações completas sobre o procedimento e procurar um médico devidamente habilitado, considerando todas repercussões da esterilização e as suas consequências, como a necessidade de uma reversão.